• Cinema
  • Inspiração
  • Leitura
  • Música
  • Playlist
  • Resenha
  • Série
  • Texto
  • Vídeo
03 agosto 2017

Resenha: Mestre das chamas, Joe Hill

Título: Mestre em chamas
 Autor: Joe Hill

Ano: 2017
Editora: Arqueiro
Páginas: 592

* LIVRO CEDIDO EM PARCERIA COM A EDITORA ARQUEIRO
Sinopse: Ninguém sabe exatamente como nem onde começou. Uma pandemia global de combustão espontânea está se espalhando como rastilho de pólvora, e nenhuma pessoa está a salvo. Todos os infectados apresentam marcas pretas e douradas na pele e a qualquer momento podem irromper em chamas.Nos Estados Unidos, uma cidade após outra cai em desgraça. O país está praticamente em ruínas, as autoridades parecem tão atônitas e confusas quanto a população e nada é capaz de controlar o surto.O caos leva ao surgimento dos impiedosos esquadrões de cremação, patrulhas autodesignadas que saem às ruas e florestas para exterminar qualquer um que acreditem ser portador do vírus.

Em meio a esse filme de terror, a enfermeira Harper Grayson é abandonada pelo marido quando começa a apresentar os sintomas da doença e precisa fazer de tudo para proteger a si mesma e ao filho que espera.Agora, a única pessoa que poderá salvá-la é o Bombeiro – um misterioso estranho capaz de controlar as chamas e que caminha pelas ruas de New Hampshire como um anjo da vingança.Do aclamado autor de A estrada da noite, este livro é um retrato indelével de um mundo em colapso, uma análise sobre o efeito imprevisível do medo e as escolhas desesperadas que somos capazes de fazer para sobreviver.


Mestre das Chamas contará a história de Harper Grayson, uma enfermeira que cuida integralmente das pessoas infectadas por uma doença chamada Escama de Dragão, pois surge no corpo das pessoas como uma tatuagem definitiva e que dependendo das emoções , ela pode fazer a pessoa entrar em combustão e se incendiar, queimando a si mesmo e a quem estiver ao redor.

Todavia,  quando o hospital em que Harper ajudava foi destruído, ela volta para casa e se descobre gravida, mas também sabe que as chances de estar infectada pelo esporo são altas, passando também para seu marido, que tenta convence-la a abordar e se matarem antes que eles próprios queimem. Harper Grayson é abandonada pelo marido e agora precisará buscar sobreviver não só por si, mas pela criança que está em seu ventre.

"Só que não parecia um hematoma. Parecia a Escama do Dragão, uma linha

escura, quase preta, salpicada de fragmentos dourados estranhamente metálicos. Quando ela se curvou para ver mais de perto, viu outra marca, na panturrilha da mesma perna, e se endireitou com um movimento brusco. Tapou a boca com uma das mãos, pois estava emitindo uns ganidos de dar dó, e não queria que Jakob escutasse." 


Por isso, ela se junta em uma comunidade com outros portadores da doença , a fim de fugir do marido. Essa comunidade vive em harmonia e por mais louco que pareça ela também convive bem com a doença. Mas, será que tudo é realmente tão calmo quanto parece? Será que Harper continuará com a gravidez, mesmo infectada e com medo das ameaças do marido?

"– O mundo inteiro pode se incendiar à nossa volta – disse Jakob. – Eu vou te

abraçar até o fim. Você não vai ter como fugir de mim." 


A trama é desenvolvida a partir da vivência de Harper com essa comunidade: um grupo de pessoas totalmente diferentes, vivendo uma situação de extrema sobrevivência e estresse. O livro é dividido em nove livros,posteriormente, nove histórias, que estão conectadas à Harper e à Escama de Dragão. Aos poucos, a história vai fluindo, sem mostrar-se perdida ou confusa, mesmo com a gama de detalhes e fatos.

"Todo mundo vai morrer. Esta é a última geração. Acho que a gente sempre soube isso. Mesmo antes da Escama do Dragão. A gente sabia que ia sufocar com nossa própria poluição, e que ia faltar comida, ar e todo o resto." 

Por ter sido minha primeira experiência com o Joe Hill, as quase 600 páginas que inicialmente passam-se lentamente vão encontrando seu ritmo e deixando o leitor curioso acerca do que o ser humano é capaz de fazer em situações de extrema pressão.  Algo que me incomodou foram as descrições detalhadas demais e repetitivas, porém  o autor começa a acelerar os acontecimentos, revelando segredos, motivações pessoais de cada personagem secundário, com conflitos e e reviravoltas inacreditáveis.

"É preciso cuidar uns dos outros, caso contrário viver é andar sobre cinzas, um fósforo pronto para ser aceso."

A escrita de Joe Hill é crua, cheia de palavrões e com muitos detalhes de cada vez que o corpo é incendiado, descrevendo todas as sensações da pessoa até dos objetos ao seu redor. Definitivamente, um thriller inovador que fará uma análise o efeito do medo e as escolhas que podemos fazer a fim de sobreviver.

Joe Hill também faz várias referencias a músicas , bandas de rock, de Beatles, AC/DC, livros e autores. O Mestre das Chamas é um bom livro de ficção , com uma narrativa original e que discute como uma pessoa agiria nos momentos de tensão e com uma doença tão louca. 

O autor retrata a fragilidade humana diante do desconhecido, as mudanças que mexem com nosso conforto e que nos trazem insegurança.È aquela velha frase de Charles Darwin: Não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta às mudanças” . Mas também, o lado desumano que é mostrado nas pessoas que não foram infectadas, que matam os doentes por puro esporte, principalmente do meio ao fim do livro.Os personagens são marcantes,carismáticos e que podem demonstrar um misto de emoções, provando que nunca conhecemos eles de verdade.


Mestre das Chamas é a chama ardente que vai incendiando tudo ao redor, que provoca o leitor aos poucos e depois aborda questões sobre a vida humana e o que a define. Do individualismo a busca pelo bem coletivo, a fé versus prosseguir diante as dificuldades e em questões desse tipo o terror acontecerá. E você? Vai enfrentar o medo ou deixar ele se alastrar?

“Voce está no inferno quando deixa de dar a quem precisa porque nao suporta ter menos.”

Nota: ★★★★




divulgar

comentar


Comentário(s) pelo Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário